MAR AVANÇA EM ATAFONA...

O mar de Atafona,município de São João da Barra - RJ ,avançou  quase seis metros em uma semana.Na tarde de ontem, sexta-feira (11/01), uma família foi removida por agentes da Defesa Civil Municipal de São João da Barra para um abrigo público no município, após a interdição de sua residência. Com o avanço da maré, na tarde de ontem, sexta até a madrugada deste sábado (12/01), parte do imóvel dos residentes foi levado pelas ondas do mar.O coordenador da Defesa Civil, Adriano Martins de Assis disse que várias famílias já foram notificadas quanto ao risco de permanecerem no local, no entanto, alguns ainda oferecem resistência e não aceitam deixar suas casas.

Pescador e morador há mais de 15 anos de Atafona, José Luis Gonçalves Rosa, 38 anos, está temeroso, pois sua casa também está ameaçada de cair a qualquer momento. “Eu só saio daqui se tiver a certeza de que terei uma casa para morar com minha família. Não vejo ninguém fazer nada por nós aqui e isso é lamentável. Eu vivo da pesca e se cair tudo aqui não terei para onde ir”, lamentou.

 Jornalista João Noronha

                                         
  Com três livros publicados sobre a história de Atafona, o jornalista João Noronha relatou  o porquê do balneário sanjoanense ser um dos mais prejudicados por conta da maré alta.  “O rio vai se enfraquecendo e o mar avançando. O que acontece em Atafona é que o mar, hoje, tenta recuperar o espaço que ele perdeu com as intervenções do homem e as ocupações irregulares. Tudo isso que está acontecendo tem uma série de fatores que contribuíram para o mar se afastar e recuar”, informou Noronha acrescentando:  “O mar na verdade é um ciclo de avanços e recuos. Então ele avança durante quatro ou cinco anos e recua oito, voltando a avançar novamente, só que dessa vez destruindo tudo que encontra pela frente”.  O jornalista, que também perdeu uma casa para o mar, residência esta pertencente a três gerações de sua família, uma belíssima xácara de 1.700 m², contou que, hoje, evita de ir ao balneário sanjoanense para não relembrar o ocorrido. “Foi lá que eu passei toda minha infância e adolescência. Eu vivi ali até 2005 e perdi a casa no ano de 2006. É lamentável Atafona perder cada vez mais seu espaço e sua história. A parte antiga da praia está totalmente comprometida. É uma perda significativa”, lamentou Noronha.  

coordenador da Defesa Civil, Adriano Martins de Assis


  PRAIA NÃO ESTÁ LIBERADA PARA BANHO
De acordo com o coordenador da Defesa Civil, Adriano Martins de Assis, com a maré cheia, a praia fica impossibilitada de ser utilizada pelos banhistas. “A gente pede e alerta para que as pessoas não se aproximem do local, mas as mesmas resistem e acabam entrando no mar mesmo sabendo dos perigos que correm”. De acordo com dados da Marinha do Brasil, de onde obtemos essas informações, a previsão é de que a partir das 21h, a maré já irá começar a diminuir um pouco, podendo chegar a um metro”, informou o coordenador.

                                                                                                                                                                                                                                    

Nenhum comentário:

Postar um comentário