Beltrame : Houve erro na forma como a polícia tentou parar o ônibus sequestrado no Rio

Lataria do ônibus ficou com marca de tiros, que também atingiram os pneus (Foto: Rodrigo Vianna / G1)



O secretário de Segurança Pública do Rio de Janeiro, José Mariano Beltrame, disse, em nota divulgada na noite de ontem, quarta-feira (10), que "houve erro" na maneira como policiais tentaram parar um ônibus sequestrado na noite de terça-feira (9), na Avenida Presidente Vargas, no Centro do Rio.Na ocasião, policiais militares atiraram contra o veículo com reféns para que ele parasse. O sequestro terminou com cinco pessoas feridas. Três homens foram presos  e um suspeito foragido.A nota, enviada por e-mail às 19h37, contém uma única declaração de Beltrame: "Foi uma operação complexa, houve erro na forma com que a polícia tentou parar o ônibus, porém, em um segundo momento, os policiais militares conseguiram evitar o que poderia de pior acontecer. O cerco com as viaturas e a bem sucedida negociação com os assaltantes foram fundamentais para o desfecho que culminou na rendição deles e a libertação dos reféns".O comandante da Polícia Militar, coronel Mário Sérgio Duarte, afirmou que policiais militares quebraram o protocolo da instituição ao atirar contra um ônibus com reféns no Centro do Rio. No entanto, segundo ele, foi esse erro que permitiu que o ônibus fosse interceptado pela polícia.Peritos do Instituto de Criminalística Carlos Eboli (ICCE) fizeram uma perícia no ônibus sequestrado. Segundo os peritos, uma análise inicial indica que vários tiros foram dados de fora para dentro do veículo, na altura dos pneus. Para eles, isso indica a intenção de parar o ônibus.















Nenhum comentário:

Postar um comentário