Ministério Público do Trabalho reúne rodoviários, empresários e Procuradoria da Prefeitura.

“Muito dificilmente a cidade terá ônibus circulando se não tivermos o reajuste de 23,28% . A categoria está  disposta a ir até as últimas conseqüências”.  Foi o que disse a imprensa neste domingo(22/04) o presidente do sindicato dos Rodoviários, Roberto Virgílio.Em greve desde a semana passada, os rodoviários de Campos querem equiparação salarial com o Rio de Janeiro.A categoria aguarda audiência na próxima quarta-feira, dia 25, para saber qual será a posição do Ministério Público do Trabalho(MPT) sobre e legalidade da greve.Então,terça-feira,dia 24, mais uma audiência no Ministério Público do Trabalho reúne rodoviários, empresários e Procuradoria da Prefeitura.
- Já na quarta-feira, o MPT se posiciona em relação a legalidade da greve.

Nenhum comentário:

Postar um comentário