Polêmica na educação

Na última semana, uma decisão judicial causou polêmica entre pais, educadores e especialistas de polêmica. De acordo com a liminar do juiz federal Claudio Kitner, da 2ª Vara da Justiça Federal em Pernambuco, crianças menores de seis anos podem cursar a primeira série do ensino fundamental, desde que comprovada a sua capacidade intelectual por meio de uma avaliação psicopedagógica feita pela escola. Para especialistas, a decisão pode causar prejuízos para o desenvolvimento da criança que, antes dos seis anos, não está pronta para se adaptar à estrutura escolar do ensino fundamental.Especialistas defendem que os pequenos precisam de espaço e tempo adequado para se desenvolver. Inseri-los no ensino fundamental é uma violência, porque o sistema é focado na alfabetização e não é feito para os pequenos. No 1º ano, eles não terão chance de brincar, desenhar e viver as experiências que só a pré-escola e a creche proporcionam. E mais,para Andrea Rapoport, doutora em psicologia e autora do livro A Criança de 6 Anos no Ensino Fundamental, a decisão de adiantar a escolaridade da criança não pode se basear apenas no desenvolvimento intelectual, ou seja, na sua capacidade de assimilar os conteúdos escolares, como ler e escrever. É claro que existem crianças que aprendem mais rápido. Mas isso não significa que elas estejam emocionalmente prontas para ficarem sentadas na sala de aula aprendendo a escrever. Essa decisão fere os princípios da infância. O MEC (Ministério da Educação), afirmou que vai recorrer da decisão por meio da AGU (Advocacia-Geral da União).




















.


Um comentário:

  1. se ela vem de berçarios/creches estariam pré educadas para isso. Caso contrário, sou contra.
    Soaroir de Campos

    ResponderExcluir