LONDON 2012 - OLÍMPIADAS É NA RÁDIO RECORD CAMPOS



Brasil encerra freguesia olímpica com Argentina e vai à semifinal

O triunfo na capital do Reino Unido é o primeiro do Brasil sobre o adversário em fases decisivas de competição. Além dos dois duelos em Atlanta (vitória argentina na primeira fase e brasileira no playoff para definir o quinto lugar), os dois vizinhos se encontraram duas vezes, e em ambas o país rival saiu com a vitória: quartas de final em Sydney 2000, quando surpreendeu, e na disputa do bronze em Seul 1988.
Garantido na disputa direta pela medalha, o Brasil aguarda o vencedor do confronto entre Estados Unidos, que decretou a única derrota do time de Bernardinho na primeira fase, e Itália, justamente a seleção superada pelos brasileiros na decisão olímpica de Atenas, em 2004. Os dois times se enfrentam ainda nesta quarta-feira.

 "tchau, hermanos"



Medalhista, boxeadora dispara: "fui obrigada a ficar na Seleção"

Primeira boxeadora a conquistar uma medalha para o Brasil em Olimpíadas, Adriana Araújo disparou contra a Confederação Brasileira de Boxe e disse que, antes dos Jogos de Londres, foi obrigada a permanecer na Seleção mesmo contra sua vontade. Na manhã desta quarta-feira, Adriana foi derrotada pela russa Sofya Ochigava, mas garantiu a medalha de bronze."O povo brasileiro não sabe a dificuldade que tive não só em minha trajetória de 12 anos, mas também nos últimos dois anos. Foram algumas dificuldades que tive que superar na Seleção Brasileira, as depressões por ficar longe da minha família, longe do meu técnico e pelo fato de o presidente (Mauro José da Silva) me obrigar a ficar na Seleção Brasileira e eu não querer. Também consegui superar a derrota que tive no Pan e mostrar a mim mesmo que sou a Adriana Araújo", afirmou a pugilista brasileira.Adriana confessou ainda que ouviu pessoas da própria Seleção Brasileira de boxe dizendo que ela não seria capaz de se classificar para a Olimpíada. 




Se não houver uma surpresa positiva que reverta o quadro de decepções com as saltadoras Fabiana Murer e Maurren Maggi, o atletismo do Brasil vai sair dos Jogos Olímpicos de Londres sem subir ao pódio pela primeira vez desde a Olimpíada de Barcelona 1992.Se não houver uma surpresa positiva que reverta o quadro de decepções com as saltadoras Fabiana Murer e Maurren Maggi, o atletismo do Brasil vai sair dos Jogos Olímpicos de Londres sem subir ao pódio pela primeira vez desde a Olimpíada de Barcelona 1992..




Nenhum comentário:

Postar um comentário