Carlos Lupi deixa o governo

Sétimo ministro a ser demitido no primeiro ano do governo Dilma Rousseff, Carlos Lupi deixou o Ministério do Trabalho neste domingo (4), um mês após o início de uma série de denúncias de irregularidades na pasta, declarações polêmicas e perda de apoio entre os próprios colegas de partido do PDT.Ele também foi acusado de ter acumulado, durante quase cinco anos, entre 2000 e 2005, dois cargos de assessor parlamentar em órgãos públicos distintos (Câmara dos Deputados e Câmara Municipal do Rio de Janeiro). Foi apontado ainda como funcionário "fantasma" da Câmara entre 2000 e 2006. A Câmara chegou a abrir sindicância para investigar o assunto, mas Lupi negou fraudes e disse que devolveria o dinheiro.Outra denúncia que atingiu Lupi foi a confirmação de que, em 2009, ele viajou em companhia de Adair Meira, empresário de Goiânia que dirige ONGs beneficiadas posteriormente em convênios com a pasta. A reação de Lupi às denúncias de corrupção na pasta ajudou a desgastá-lo politicamente.Ele disse que só sairia do cargo "abatido à bala". "Tem de ser uma bala pesada, porque sou pesadão", afirmou após reunião do PDT.Dois dias depois, diante da repercussão da fala, Lupi se desculpou declarando amor pela presidente Dilma Rousseff durante depoimento na Câmara. "Presidente, desculpe se eu fui agressivo, não foi minha intenção, eu te amo", disse Lupi em audiência com deputados.Bye bye Lupi.

Nenhum comentário:

Postar um comentário